Dynatest e parceria com a Metro Cúbico Engenharia

Dynatest e parceria com a Metro Cúbico Engenharia

Em 2012, chega ao Brasil a Metro Cúbico Engenharia (M3), fruto da aliança de experientes empresas da Europa especializadas na pesquisa e desenvolvimento de soluções em geotecnologias aplicadas à infraestrutura.

A empresa veio com uma nova proposta para o mercado, destacando-se como pioneira no mercado de Mapeamento Móvel com uso da tecnologia Mobile Mapping System (MMS). Após um amplo estudo mercadológico, a Dynatest, referência brasileira no ramo de estudos e projetos voltados à infraestrutura, contrata a Metro Cúbico para o primeiro trabalho com a utilização do MMS na área rodoviária.

A M3, por sua parte, empresa de base tecnológica, especializada na elaboração de levantamentos para suporte a projetos, inicia um intenso trabalho, com o apoio da equipe de engenheiros da Dynatest. O objetivo é adaptar a tecnologia às necessidades do país e apresentar ao mercado uma alternativa aos métodos tradicionais de levantamentos e cadastros.

Durante estes 8 anos de trabalho conjunto foi possível estabelecer novos padrões metodológicos nos mercados público e privado, desenvolvendo com excelência trabalhos nas áreas rodoviária, ferroviária, metroviária, aeroportuária, entre outras. Os dados coletados com os sensores Lidar e Câmera permitiram a Dynatest aprimorar as técnicas de análise de projeto com resultados ágeis, seguros e confiáveis dando continuidade às políticas das companhias.

Atualmente, ambas empresas continuam estreitando laços de parceria com trabalhos no âmbito nacional e internacional, com fortes planos de investimento conjunto em hardware e software, voltado aos conceitos Building Information Modeling (BIM) e à melhora nos processos de planejamento e manutenção das infraestruturas.

Leia Mais

Prevenção e combate à COVID-19

Espero que esta mensagem encontre todos vocês e seus familiares bem.

Com a COVID-19, fomos obrigados a mudar nossa forma de agir, tomar uma rota desconhecida e repensar o nosso futuro. Apesar de estarmos fisicamente distantes, a Dynatest segue firme em seu propósito e já vem repensando esse futuro e planejando a retomada pós-quarentena. Seguem nossas principais ações:

– Criação do Comitê de Crise, grupo multidisciplinar para rápida tomada de decisões até que a normalidade retorne;

– Busca constante de alternativas para a manutenção dos postos de trabalho;

– Apoio aos colaboradores de acordo com o nível de risco;

– Adoção das recomendações e protocolos da OMS (Organização Mundial da Saúde) sobre política de saúde e segurança. Ex.: critérios de uso de máscara, técnicas de desinfecção, regras de convivência e realização de testes do Covid-19. Todas as medidas serão oportunamente comunicadas.

Desafios trazem a necessidade de adaptação, versatilidade e colaboração, e assim oportunidades de melhoria e evolução a todos nós. Esperamos que todos continuem focados e determinados para sairmos bem desse momento, garantindo a saúde e o bem-estar de todos.

Agradeço todos os colaboradores por terem se adaptado de forma exemplar e continuarem com o mesmo vigor e determinação para manter nossas atividades e compromissos.

Estamos todos colaborando decisivamente para que a Dynatest se mantenha como uma referência no segmento da Engenharia Nacional. Durante o trabalho remoto, nossa equipe de TI estará prontamente ativa para atender no que for necessário.

Sairemos juntos dessa.

Leonardo Preussler, sócio-proprietário da Dynatest Engenharia.

Leia Mais

Entenda mais sobre o serviço de duplicação de rodovias

O transporte rodoviário é o meio de transporte mais utilizado no Brasil, correspondendo a 58% do total. Além disso, 75% do escoamento de mercadorias em território brasileiro é feito pelas rodovias. Sendo assim, é imprescindível que o desenvolvimento, implantação e manutenção de obras rodoviárias sejam planejadas com a seriedade e qualidade necessárias. Dentro de melhorias possíveis está o serviço de duplicação de rodovias. Entenda mais sobre a importância e benefícios deste tipo de empreendimento, também oferecido pela Dynatest Engenharia.

Com o objetivo de proporcionar maior fluidez de tráfego, segurança e conforto aos usuários e durabilidade à rodovia existente, o projeto de duplicação precisa seguir a normas ambientais e minimizar possíveis impactos negativos no local a ser realizado, como desmatamento da vegetação local, poluição ou interferência na biodiversidade do entorno. Uma vez que a finalidade é cumprida, a obra traz benefícios socioeconômicos em seu entorno, como:

– Redução de acidentes devido ao melhor escoamento de veículos na região;

– Atração de novas empresas, por conta da logística e infraestrutura e, consequentemente, geração de empregos e desenvolvimento econômico aos moradores próximos do empreendimento.

O projeto de duplicação

A duplicação consiste na recuperação da pista existente e a implantação de uma nova. Idealmente, o projeto precisa prever a proximidade de ambas as pistas, utilizando sua faixa de domínio e minimizando interferências e desapropriações na vegetação e em áreas protegidas legalmente. A nova pista deve colaborar para a diminuição do volume de tráfego.

As fases do projeto

A construção de uma nova pista e as melhorias na pista existente envolve duas fases. A primeira é o projeto básico, e a segunda, o projeto executivo:

1.Projeto básico

Na primeira etapa, estudos preliminares são elaborados para a seleção de alternativa de traçado para a nova pista. Paralelamente, há um levantamento de dados para caracterizar as condições físicas e de operação da pista existente. A partir do diagnóstico obtido, a equipe técnica precisa pensar em soluções, como: adequações geométricas, medidas de recuperação do pavimento, do sistema de drenagem e de obras de arte correntes e especiais.

Além de questões técnicas, devem solucionar problemas de segurança, tráfego e restrições ambientais relacionadas aos aspectos legais e fisiográficos. Ao final desta fase, os profissionais precisam assegurar a viabilidade técnica e ambiental do empreendimento, além da avaliação do custo da obra e definição de métodos e prazo de execução.

2. Projeto executivo

A fase executiva é composta pelo conjunto de elementos necessários à implantação da obra. Deve detalhar a solução escolhida, fornecendo plantas, desenhos e notas de serviço de plataforma acabada que permitam a realização dos serviços previstos.

Abaixo, seguem as atividades previstas nesta etapa (além de estudos e avaliações complementares à primeira fase):

– Projeto executivo de geometria;

– Projeto executivo de terraplanagem;

– Projeto executivo de drenagem e obras de arte correntes;

– Projeto executivo de obras de arte especiais;

– Projeto executivo de túneis;

– Projeto executivo de pavimentação;

– Projeto executivo de sinalização e de dispositivos de segurança;

– Projeto executivo de remanejamento de interferências;

– Projetos executivos complementares.

Leia Mais

Retrospectiva: relembre os destaques de 2019

Em 2019, a DynaNews cumpriu a missão de informar os assinantes com notícias do setor de engenharia consultiva, além de estudos, projetos, eventos e ações internas da Dynatest. Falamos sobre estudos e equipamentos utilizados em levantamentos, os hobbies das nossas engenheiras, o cenário de privatização brasileiro e mais.

Perdeu algum conteúdo? Confira abaixo os textos de destaque da newsletter bimestral e atualize-se sobre o setor de transportes e engenharia consultiva brasileiro:

1. HWD é empregado em levantamento deflectométrico no Aeroporto Tom Jobim (Janeiro/Fevereiro)

Para assegurar a preservação do pavimento e garantir a aplicação eficiente dos recursos, a Dynatest disponibiliza equipamentos de alto desempenho e softwares com tecnologia avançada que permitem coleta de informações de parâmetros estruturais e funcionais dos pavimentos de forma automatizada. Uma aplicação dessa inteligência se deu no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro – RJ, com o levantamento deflectométrico do pavimento aeroportuário, utilizando o Heavy Weight Deflectometer (HWD).

2. Os hobbies das engenheiras da Dynatest (Março/Abril)

A presença de mulheres na engenharia é crescente nas organizações. No mês passado, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, conversamos com Aline Suzuki e Laís Ferreira, engenheiras da Dynatest, para saber um pouco mais sobre a sua trajetória profissional e, também, para conhecer quais são suas principais atividades nos momentos livres. Confira.

3. Entenda o cenário de privatização dos aeroportos brasileiros (Maio/Junho)

A privatização de aeroportos brasileiros é um movimento que vem avançando nos últimos tempos. Em março de 2019, o governo federal leiloou 12 aeroportos na Bolsa de Valores de São Paulo (B3), divididos entre as regiões Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste. Leia o texto e saiba mais.

4. Novo leilão de rodovias acontecerá em 18 de setembro de 2019 (Jul/Ago)

O leilão das rodovias BR-364 e BR-365 foi marcado para o dia 18 de setembro de 2019, segundo edital da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), na sede da Bolsa de Valores B3, em São Paulo. O trecho leiloado possui 437 quilômetros de extensão e está situado entre as divisas de Minas Gerais e Goiás, ligando Uberlândia (MG) e Jataí (GO).

5. Presença internacional: Dynatest realiza levantamentos em pavimentos rodoviários da Bolívia (Setembro/Outubro)

A presença da Dynatest Brasil já é conhecida internacionalmente por serviços de consultoria rodoviária. No começo de 2019, a empresa encarou um novo desafio: realizar levantamentos em 12 mil quilômetros de rodovias bolivianas.

O consórcio formado pelas empresas Dynatest e InSitu, por meio de seu contrato assinado em agosto de 2018 com a Administradora Boliviana de Carreteras (ABC), tem como responsabilidade realizar o Monitoramento, Inventário Viário e desenvolvimento de Sistema de Gestão Viário para as rodovias da Rede Rodoviária Fundamental (RVF), que engloba maior parte da malha da Bolívia.

6. Dynatest mobiliza funcionários em campanhas de prevenção (Novembro/Dezembro)

Os meses de outubro e novembro são marcados pelas campanhas de conscientização contra o câncer de mama e de próstata, o Outubro Rosa e Novembro Azul, respectivamente. Durante este período, a Dynatest tem mobilizado seus profissionais com o objetivo de ressaltar a importância da prevenção e cuidados para manter a saúde sempre em dia.

Leia Mais

As melhores rodovias brasileiras são concedidas

Em outubro deste ano, a Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulgou pesquisa técnica que revelou que as 22 melhores rodovias brasileiras são concedidas à iniciativa privada. O estudo de 2019 traz um ranking de 109 estradas brasileiras analisadas, e as rodovias concedidas possuem avaliação superior em relação às vias administradas pelo poder público.

A CNT avaliou 108.863 quilômetros de rodovias, sendo que 86.784 km (79,7%) estão sob gestão pública e 22.079 km (20,3%) sob gestão concedida. Os dados revelam que 74,7% do estado geral das rodovias concedidas é ótimo ou bom, compreendendo 16.497 km. Já os trechos administrados pelo poder público apresentam apenas 32,5% classificados como ótimos ou bons, o que equivale a 38.168 km.

Das 109 rodovias do ranking, as 20 primeiras são ligações rodoviárias do estado de São Paulo, sendo 17 classificadas como ótimas. A primeira posição é da rodovia Campinas – Jacareí (SP-06 e SP-340), seguida da via Limeira – São Paulo (SP-310/BR-364 e SP-348) e São Paulo – Taubaté (SP-070).

Fontes: CNT, Na Boléia, ABCR

Leia Mais

Dynatest mobiliza funcionários em campanhas de prevenção

Os meses de outubro e novembro são marcados pelas campanhas de conscientização contra o câncer de mama e de próstata, o Outubro Rosa e Novembro Azul, respectivamente. Durante este período, a Dynatest tem mobilizado seus profissionais com o objetivo de ressaltar a importância da prevenção e cuidados para manter a saúde sempre em dia.

Leonardo Preussler, sócio proprietário da empresa, destaca que “a importância de conscientizar os profissionais é para que essa informação possa ser transmitida para além da empresa, a fim de conscientizar os familiares e assim por diante. O importante é ajudar, da forma que podemos”.

Nos dois meses, os funcionários são convidados a vestir as cores rosa e azul, símbolos da campanha, em um dia determinado no mês. Assim, são lembrados da importância de manter os exames de rotina em dia e fazer check ups periódicos, já que a mobilização das pessoas uma vez por ano é importante para lembrar que sempre é tempo para cuidar da saúde, segundo Rui Margarido.

No entanto, um desafio maior surge durante o Novembro Azul e na conscientização dos homens sobre a importância de exames preventivos para o combate e tratamento do câncer de próstata. Luciana Barbosa acredita que ainda há preconceito por parte dos homens em ir ao urologista, “visto que o câncer de próstata ainda é a segunda maior causa de morte por câncer entre os homens”, completa.

Além da visita regular ao médico, manter bons hábitos alimentares e uma rotina de exercícios físicos são práticas recomendadas para a prevenção de doenças. Como aponta Aline Suzuki, “uma vida saudável não só significa visitar regularmente o médico, como também levar um estilo de vida que propicie bons resultados nos exames”.

E você, já marcou sua consulta com seu médico este ano?

Leia Mais

Presença internacional: Dynatest realiza levantamentos em pavimentos rodoviários da Bolívia

A presença da Dynatest Brasil já é conhecida internacionalmente por serviços de consultoria rodoviária. No começo de 2019, a empresa encarou um novo desafio: realizar levantamentos em 12 mil quilômetros de rodovias bolivianas.

O consórcio formado pelas empresas Dynatest e InSitu, por meio de seu contrato assinado em agosto de 2018 com a Administradora Boliviana de Carreteras (ABC), tem como responsabilidade realizar o Monitoramento, Inventário Viário e desenvolvimento de Sistema de Gestão Viário para as rodovias da Rede Rodoviária Fundamental (RVF), que engloba maior parte da malha da Bolívia.

Foto: Mapa da Rede Rodoviária Fundamental (RRF) da Bolívia

Os 12 mil quilômetros de vias avaliadas fazem parte dos quase 16 mil quilômetros que compõem a RVF boliviana, gerenciada pela Administradora Boliviana de Carreteras (ABC). Toda a extensão analisada foi dividida em três regiões, de acordo com a variabilidade climática e topográfica, a fim de otimizar a logística dos trabalhos de campo:

  • Regional I = Seções de Santa Cruz, Beni e Pando;
  • Regional II = Seções de Cochabamba, Chuquisaca e Tarija;
  • Regional III = Seções de La Paz, Oruro e Potosí.

Para a realização de qualquer ação sobre o patrimônio rodoviário, o conhecimento de todos os elementos físicos e geométricos é importante e quase essencial. Também é fundamental manter essas informações constantemente atualizadas e organizadas em bancos de dados que permitem acesso rápido e confiável.

Desta forma, o cadastro e inventário dos ativos rodoviários foram realizados por meio de capturas de imagens 360° georreferenciadas aliadas à pesquisa de campo e contemplaram: cercas metálicas, dados gerais das rodovias, dispositivos de segurança, drenagem superficial, praças de pedágio, acidentes na rodovia, marcos quilométricos, postes de iluminação, sinalização horizontal linear, sinalização vertical, sonorizadores, taludes e muros de contenção, travessias urbanas, obras de arte especial e Bueiros.

Com relação ao monitoramento das rodovias, a Dynatest possui equipamentos e softwares de alto desempenho com tecnologia avançada que permitem a coleta de informações de parâmetros estruturais e funcionais de pavimentos automaticamente, revolucionando métodos comuns que se tornaram obsoletos ao longo dos anos. Neste sentido, para a investigação e avaliação das condições atuais dos pavimentos, estão sendo utilizados equipamentos com tecnologia de ponta, como o Ground Penetrating Radar (GPR), Falling Weight Deflectometer (FWD) e Pavement Scanner. Os parâmetros levantados foram:

  • Deflexões recuperáveis do pavimento;
  • Raio de curvatura;
  • Espessura das camadas do pavimento;
  • Índice de Condição de Pavimento (PCI);
  • Índice Internacional de Irregularidade (IRI);
  • Macrotextura – Profundidade Média do Perfil (MPD);
  • Microtextura;
  • Índice Internacional de Atrito (IFI).
Foto: Pavement Scanner

Com base nos dados de inventário dos ativos rodoviários é possível planejar gestão da malha com a priorização técnica dos trechos que necessitam de intervenção, introduzida a um cronograma de execução com cenários de investimento.

Levando em conta os parâmetros funcionais e estruturais levantados dos 12 mil quilômetros é possível embasar a elaboração da gestão da manutenção rodoviária e plano orçamentário anual. Além de permitir a otimização dos investimentos e programar as intervenções a serem executadas.

Por meio do Sistema de Gerência Viária que está em implantação, plataforma que permitirá o estudo de cenários técnicos econômicos supracitados, em conjunto com o módulo SIG que armazenará e possibilitará a análise dos ativos viários das rodovias bolivianas, o corpo técnico da ABC poderá com esta ferramenta de tomada de decisões obter a melhor estratégia de gestão de sua malha.

Leia Mais

Conheça alguns dos serviços prestados pela Dynatest através dos folders inovados

Em julho de 2019 completamos 31 anos de atuação no mercado brasileiro. Fundada em 1988, a Dynatest Engenharia Ltda. é pioneira no país na utilização de equipamentos e softwares de última geração, além de ser reconhecida pela participação em grandes projetos, oferecendo serviços de alta qualidade e equipe técnica altamente capacitada.

A empresa oferece sua expertise no planejamento, projeto, desenvolvimento, implementação e gerenciamento de programas nas áreas aeroviária, rodoviária, ferroviária, portuária e viária urbana.

A Dynatest é agente exclusiva da Dynatest Internacional, empresa presente em todo o mundo e com matrizes na Dinamarca e Estados Unidos. No Brasil, possui sede em São Paulo e filiais no Rio de Janeiro e Brasília.

Para entender melhor sobre alguns dos serviços realizados, softwares e tecnologia desenvolvidos ao longo de três décadas de atuação da Dynatest, clique aqui.

Institucional

– Folder institucional

Serviços

– Concessões

– Estudos e Projetos

– Gerenciamento de Empreendimentos

Softwares

– Elmod

– MSManager

– Sistema de Gerenciamento dos Pavimentos (SGP)

Tecnologia

– Falling Weight Deflectometer (FWD)

– Grip Tester

– Light Weight Deflectometer (LWD)

– Mobile Mapping System (MMS)

– Pavement Scanner

– Pêndulo Britânico e Mancha de Areia

– Perfilômetro Laser (RSP)

Leia Mais

iRAP | Segurança em primeiro lugar: Dynatest realiza levantamentos em 5,8 mil km de rodovias do Tocantins

Como uma empresa de engenharia consultiva, a Dynatest atua não só no desenvolvimento, mas também na avaliação e inspeção de projetos rodoviários – sejam eles novos ou já existentes -, a fim de garantir a segurança e viabilidade deles.

Recentemente, um dos contratos fechados pela empresa designa levantamentos a serem realizados nas rodovias estaduais pavimentadas do Tocantins, com o objetivo de inspecionar e avaliar a segurança de cerca de 5,8 mil quilômetros para o Plano de Segurança Viária – Rodovias Mais Seguras.

O serviço utilizará a metodologia do Programa Internacional de Avaliação de Rodovias (iRAP), organização internacional sem fins lucrativos que atua na prevenção de acidentes e na redução de seus impactos. O escopo do trabalho envolve o levantamento (1) e codificação das rodovias (2), os dados de apoio (3) e o processamento e análise das especificações (4):

1. Levantamento das rodovias

É a primeira fase do projeto, que começa com a apresentação e calibração dos meios de inspeção. Depois, é feita a coleta de dados dos trechos rodoviários selecionados para verificação, seguida do processamento e organização dos dados coletados para a próxima etapa – a codificação.

2. Codificação das rodovias

Esta fase consiste em implantar os dados levantados das rodovias no software VIDA de codificação. O primeiro passo é a preparação dos profissionais por meio de um treinamento. Desta forma, a equipe segue preparada para as atividades de codificação, implantando no software os dados que seguem os requisitos técnicos e de qualidade.

Os resultados parciais obtidos são submetidos à avaliação do contratante e do Garantidor de Qualidade, e quando aprovados, são encaminhados à equipe de codificação. Por fim, após a conclusão desta etapa e o retorno positivo do iRAP, o Relatório Final de Codificação é elaborado e marca o fim do processo.

3. Dados de apoio

Neste procedimento, estão envolvidas algumas etapas: aidentificação dos órgãos e agentes locais, a identificação das interfaces operacionais e o planejamento da coleta de dados. Neste planejamento, há o refinamento do plano de trabalho, no qual as atividades de pesquisa são organizadas após a identificação das fontes de informação e seus agentes.

As informações coletadas podem ter diversas origens: dados públicos, da contratante, de órgãos e agentes locais; dados colhidos no levantamento da rodovia, dados de custo de contramedidas e estimativas de dados de fatalidades (se for o caso).

4. Processamento e análise das especificações

Por fim, o final do projeto inclui a revisão de garantia da qualidade dos dados de entrada, a fim de identificar e corrigir possíveis erros para manter a consistência dos resultados. Além disso, há a conversão dos dados codificados e criação de segmentos para implantá-los ou reprocessá-los, a análise e revisão dos resultados preliminares no software VIDA e avaliação dos índices junto ao iRAP. Após todas as correções e reprocessamento nos dados, o relatório técnico completo será elaborado, seguido da revisão dos resultados preliminares junto ao departamento contratante.

Leia Mais

Conheça o programa com o intuito de salvar vidas através de rodovias mais seguras, o iRAP

O International Road Assessment Programme é uma organização não lucrativa dedicada a salvar vidas através da classificação das rodovias mais seguras. O iRAP trabalha em parceria com governos e organizações não governamentais para:

  • Inspecionar as rodovias de maior risco e desenvolver uma classificação por estrelas e planos de intervenção.
  • Proporcionar treinamento, tecnologia e suporte técnico para uma qualificação em nível nacional, regional e local.
  • Acompanhar a segurança rodoviária para avaliar os benefícios obtidos pelas intervenções.

O programa está presente em mais de 80 países com representantes em todos os continentes.

A iniciativa é constituída por uma aliança entre os principais atuantes locais e especialistas internacionais com o objetivo de trabalhar juntos para implementar rodovias mais seguras. O iRAP tem o apoio de:

De forma resumida, o principal objetivo do International Road Assessment Program (iRAP) é atuar na prevenção de acidentes e na redução de seus impactos, através de inspeção das vias, de forma a fornecer um plano de investimento economicamente viável que aumente a segurança dos usuários.

O método iRAP considera que um sistema seguro, conforme figura abaixo, é composto por usuários conscientes, veículos mais seguros e vias que possam amenizar ou extinguir a possibilidade de erros dos demais.

As avaliações das vias ocorrem de forma qualitativa e quantitativa quanto à segurança rodoviária que um segmento fornece aos usuários e, mediante a atribuição de pontuações, obtém-se a classificação por estrelas (Star Rating Score) em uma escala de 1 a 5 estrelas. Esta quantificação visa identificar as contra medidas mais apropriadas, visando aumentar a pontuação de segurança rodoviária da infraestrutura.

Classificação por estrelas por tipo de usuário

Ao final das avaliações, pode ser elaborado um Plano de Investimentos para Estradas Mais Seguras, incluindo todas as contra medidas que comprovadamente forneçam a maior capacidade de segurança e maximizem o benefício sobre o custo dos investimentos planejados. A Dynatest teve a oportunidade de contribuir através desses serviços, em conjunto com a TIS, RACC e STE, para a avaliação de diversos trechos pertencentes à malha rodoviária administrada pelo Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem do Governo do Estado do Rio Grande do Sul (DAER/RS). Para mais informações, contate-nos e/ou visite o site: www.irap.org.

Leia Mais