Rodovias concedidas: saiba quais são os benefícios ao utilizá-las

Rodovias concedidas: saiba quais são os benefícios ao utilizá-las

Segurança nunca é demais, principalmente quando o assunto diz respeito ao tráfego nas rodovias. Estradas esburacadas, sem manutenção ou mal sinalizadas prejudicam os usuários de diversas maneiras. O aumento do trajeto e da jornada de trabalho, no caso dos veículos utilitários, são um dos fatores que afetam toda a cadeia de negócio, trazendo grandes prejuízos econômicos. Uma rodovia mal pavimentada pode ser crucial no tempo de vida dos automóveis, pois causa desgaste nos veículos. Além disso, somados ao impacto na saúde física e mental dos motoristas e passageiros, a ocorrência de acidentes, em alguns casos, até mesmo fatais, são consequências da falta de planejamento.

De acordo com pesquisa da Confederação Nacional de Transporte (CNT), o Brasil registra 14 mortes por dia nas rodovias federais. A cada ano, são mais de 50 mil acidentes com vítimas, muitos deles com o envolvimento de caminhões. Dentre as principais causas estão problemas de infraestrutura rodoviária, além dos fatores humanos, como por exemplo condução inapropriada.

Por que usar as rodovias concedidas?

Neste cenário tão complexo, as rodovias concedidas, ou seja, as que são de responsabilidade privada por um determinado período, são benéficas pois oferecem vantagens aos que trafegam nelas, influenciando diretamente na segurança e bem-estar dos motoristas.

Além de fazer manutenção, sinalizar e operar as vias, as concessionárias que são fiscalizadas pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) oferecem serviços aos usuários como estacionamento, banheiros, fraldários áreas de descanso, telefones públicos, socorro mecânico, guincho, troca de pneus e atendimento à veículos envolvidos em acidentes.

Por possuir Centrais de Controle Operacionais (CCOs) que dão suporte aos usuários 24h, as viagens tornam-se mais tranquilas e prazerosas. Utilizando painéis de
mensagens variáveis, as CCOs orientam e fornecem informações a respeito das condições de tráfego dos ativos. Estas centrais também coordenam e monitoram os recursos operacionais por meio de câmeras que captam imagens que são transmitidas em tempo real.

Com um importante papel, as unidades móveis das concessionárias atuam como “salva-vidas” nas rodovias concedidas, removendo os veículos afetados para locais seguros, e possibilitando que sejam adotados procedimentos adequados para a resolução dos problemas.

Em caso de acidentes, são utilizados dois tipos de socorro médico. Um deles é o resgate, destinado a urgências pré-hospitalares, com diversos equipamentos de salvamento e UTI Móvel; e inspeção de tráfego, ou seja, veículos que circulam no trecho concedido, com o objetivo de prestar auxílio.

Os que trafegam nas rodovias concedidas também são beneficiados com caminhões-pipa que tem o objetivo de combater possíveis incêndios. É válido destacar que tais ocorrências podem prejudicar a visibilidade da pista comprometendo o tráfego, até mesmo ocasionando acidentes graves. Outro auxílio realizado pelas concessionárias em tais vias é o resgate e proteção de animais, evitando que os transeuntes se acidentem.

Além dessas vantagens, os contratos de concessão preveem a realização de outras ações como as de cunho sociais, educacionais e ambientais.  Por meio dos benefícios ofertados, é possível garantir a segurança e a satisfação dos usuários que trafegam nas rodovias concedidas. 

Leia Mais

As melhores rodovias brasileiras são concedidas

Em outubro deste ano, a Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulgou pesquisa técnica que revelou que as 22 melhores rodovias brasileiras são concedidas à iniciativa privada. O estudo de 2019 traz um ranking de 109 estradas brasileiras analisadas, e as rodovias concedidas possuem avaliação superior em relação às vias administradas pelo poder público.

A CNT avaliou 108.863 quilômetros de rodovias, sendo que 86.784 km (79,7%) estão sob gestão pública e 22.079 km (20,3%) sob gestão concedida. Os dados revelam que 74,7% do estado geral das rodovias concedidas é ótimo ou bom, compreendendo 16.497 km. Já os trechos administrados pelo poder público apresentam apenas 32,5% classificados como ótimos ou bons, o que equivale a 38.168 km.

Das 109 rodovias do ranking, as 20 primeiras são ligações rodoviárias do estado de São Paulo, sendo 17 classificadas como ótimas. A primeira posição é da rodovia Campinas – Jacareí (SP-06 e SP-340), seguida da via Limeira – São Paulo (SP-310/BR-364 e SP-348) e São Paulo – Taubaté (SP-070).

Fontes: CNT, Na Boléia, ABCR

Leia Mais